você precisa ser feliz pra viver, eu não.

sábado, 31 de janeiro de 2009

Rio

Rio de Janeiro
Rio do mundo inteiro
Rio da montanha
Rio do mar
Rio de tanto te amar
Rio adorado
Rio de tantos nomes
Rio idolatrado
Rio sem fome
Rio que poderia ser Guanabara
mas não há nada melhor que uma boa risada

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

finitamente

mais
menos
melhor
menor
magico
mistério
mito
morte
mofo
molho
nada
nunca
nua
lua
limpo
impar
intimo
infimo
integro
sim

e
f
i
m

domingo, 25 de janeiro de 2009

divagações.

Minha cara, é claro que você é rara e cara, tanto que não dá para comparar, muito menos emprestar, tanto mais te ter... só me resta sonhar.

sábado, 24 de janeiro de 2009

infinitamente

amanhã
arranha-céu
café da manhã
com mel
brincadeira
de criança
com melodia
de ciranda
todo dia
na mesma palavra
na magia
abracadabra
sem surpresas
com tédio
sem beleza
com remédio
com dor
sem rima
estragando
a poesia.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Letras, letras.

A trema abriu a porta, lançou o ultimo suspiro para o U, e foi embora. Esse já quase morre de saudades dela. O que será agora da linguiça, do cinquenta? Pobre U que acaba de perder a sua companheira. Logo depois chegaram as K, W e Y da sua viagem ao exterior, elas trouxeram consigo presentes para o que ficaram e vieram contando as novidades. Começaram a falar de como o C e o P ficaram revoltados com a aposentadoria compulsória nas palavras acção, baptismo, acto, e optimista entre outras do outro lado do Atlantico.

Pobres letras e acentos, que têm sindicatos fracos demais para protestar ou fazer qualquer outra reivindicação.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Estrela (de)Cadente.

A Estrela que antes era simbolo dos oprimidos e marca dos condenados, hoje é o simbolo dos opressores e a marca dos algozes. Antes quem fugia dos tiros, do fogo e das mortes, agora é quem atira, queima e mata. Quem antes suplicava por um Estado Nacional, hoje frusta a tentativa de uma consolidação do estado palestino.

Israel não é o único culpado. O povo palestino também é inflexível e desunido. Porém o que o povo isralense passou deveria servir como um basta, para toda guerra e destruição. Mas eles mesmos, os que mais sofreram, agora são os que mais fazem sofrer.

Mas pensando no futuro, de quem eu tenho medo mesmo são dos palestinos que um dia poderão fazer o mesmo com algum povo mais fraco.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Ano Novo de novo.

Ano novo começando... Porém, janeiro é velho. Fevereiro também, março idem e assim sucessivamente. Então, o que é de fato novo? A Bossa Nova, é velha. A Nova Arte Nova, apesar de insistir e duplicar no adjetivo, é velha. A crise financeira, é velha. A fome, é velha.

Nada é novo. é tudo velho, velho, velho. Cheirando a mofo e cinzas.

Ano Novo