você precisa ser feliz pra viver, eu não.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Reação

Aos poucos as pessoas vão se mostrando, a sua verdadeira personalidade, intenções. Porém, na grande maioria das vezes elas só fazem isso quando são provocadas, incitadas em retirar a mascara e mostrar a sua verdadeira face.
Há muitas controvérsias entre a esquerda sobre o Governo Lula. Todavia, uma coisa não podemos negar. A politica do governo nesses oito anos vem descontentando em muito a pequena parcela elitista e conservadora da sociedade brasileira, que sempre teve privilégios exclusivos e agora se vê perdendo ou massificando esses privilégios. Aquisição de carros, eletrodomésticos, casa própria, viagem de avião, consumo nos shoppings, ingresso nas universidades, todos essas "pequenas" coisas para a Elite foi se tornando cada vez mais comum na vida de muitos brasileiros, principalmente os milhões que ingressaram na classe C.

O resto é muito blá, blá, blá que é muito divulgado em propagando do governo e também em outros blogues militantes como este. Eu gostaria de ilustrar alguns videos aqui que dizem muito bem sobre isso, sobre a raiva, o rancor, da elite conservadora contra um governo progressistas...

Vejam com degosto e com atenção.











Algumas observações:
(1) A RBS, primeiro vídeo, é afiliada da Rede Globo em Santa Catarina. O jornalista Luiz Carlos Prestes foi recentemente demitido. Este episódio lembra também o do jornalista Boris Casoy sobre o preconceito dos garis.

(2)
Respondam uma pergunta:
Como o Bolsonaro faz parte da Comissão de Direitos Humanos que ele mesmo tanto menospreza ? Com que interesses? Dos Direitos Humanos? E por favor, não caiam no discurso sensacionalista que distorce demais o projeto do MEC, procurem a fonte, sempre.

(3) A regulamenteção da imprensa, da mídia não é tão simplista como os jornalões falam. Ela não se resume em censura, ela não é censura, não se propõe a ser isso. Mais uma vez, os poucos que controlam todos os meios de comunicação estão com medo dela se popularizar, de qualquer um fazer notícia, estão com medo de perder o monopólio da informação.

(4) Para que incomodar os generais tão velhinhos agora né? Torturam a muito tempo atrás, já nem lembram mais...

Vê-se um acirramento das lutas de classe na sociedade brasileiro. Primeiramente partidno da reação da classe dominante, que não a toa são chamados de reacionários, pois por motivos óbvios não querem a mudança do status quo.

sábado, 8 de janeiro de 2011

Dicas culturais para as férias

Venho aqui compartilhar humildemente uma pequena contribuição para o que se fazer nas férias. Muita das vezes ficamos em casa sem fazer nada, reclamando da vida, então pensei em pesquisar para filtrar o que está acontencendo de bom ( culturalmente falando) no Rio de Janeiro. Isso aqui é um pequeno recorte, leitor.

Teatro


Um Coração Fraco - Até o dia 30/01

Priscilla Rozenbaum dirige “Um Coração Fraco”, adaptação do texto “A Felicidade”, de Dostoievski, para o teatro, assinada por Domingos Oliveira. Na montagem, o jovem Vassia (Caio Blat), pobre e frágil, trabalha em uma repartição pública como copista. Seu companheiro de quarto, Arkaddi (Cadu Fávero), é alto e forte, mas igualmente pobre. Na noite de Natal, Vassia se apaixona por Lisanka (Isabel Guéron), uma moça da idade dele e também pobre. Resolvem casar e viver juntos – com a mãe e o irmão dela, menino ainda. E naturalmente, Arkaddi.

Para ganhar um dinheiro extra, Vassia se compromete em preparar para o Ano Novo uma grande quantidade de cópias. A paixão por Lisanka, no entanto, impede que o rapaz tenha qualquer outro pensamento a não ser o amor e a felicidade, e ele acaba por perder o prazo de entrega do trabalho. Entre a paixão e a tarefa impossível, Vassia ultrapassa suas forças.

Teatro Sérgio Porto

Rua Humaitá, 163

Tel.: (21) 2266-0896

Sextas, às 20 h, sábados às 21h e 23h, e domingos, às 20h

Este espetáculo não é indicado para menores de 14 anos

Preço - R$30,00 - Inteira.


Pequenos Burgueses - 03/01 até 01/02

Depois de ser aplaudido de pé no Festival EntreMito, em Portugual, o Grupo Nós do Morro apresenta sua nova produção, “Pequenos Burgueses”. Com adaptação de Luís Paulo Correa e Castro do texto de Maximo Gorki (1868-1936) e direção de Guti Fraga e Fátima Domingues, fica quatro semanas em cartaz no Teatro das Artes.

Através de um mosaico de situações e personagens da vida russa na virada do século XX, o espetáculo conta a historia do conflito entre membros de uma família de comerciantes. Dominada por pai autoritário, o filho intelectual e a filha deprimida têm seus impulsos reprimidos. O único insurgente é o filho adotivo, o ferroviário Nill. Os personagens vivem num asfixiante círculo familiar, revelando-se quase sempre impotentes para vencer as barreiras.

O elenco é composto por André Santinho, Carlos Silva, Calucha Câmara, Cida Costa, Danilo Batista, Erick, Flávia Coutinho, Marcello Melo, Mariana Quintão, Marília Coelho, Pablo Sobral, Pierre Santos, Priscilla Marinho e Renan Monteiro.

Teatro das Artes

R. Marquês de São Vicente, 52 - Shopping da Gávea / RJ

Tel: (21) 25406004

Segundas e Terças às 21h

Este espetáculo não é recomendado para menores de 14 anos

Preço: R$50.00 - Inteira


Estilhaços
- 06/01 até 20/03

Eduardo Wotzik dirige seu novo espetáculo no Espaço I do Museu do Universo, no Planetário da Gávea. Com texto bem-humorado escrito pelo próprio diretor, a peça é montada a partir de crônicas sobre o universo contemporâneo. Os atores Analu Prestes, Clarisse Derzié, Ricardo Kosovski e Marcos França interpretam 45 divertidas histórias, através de depoimentos e observações sobre o cotidiano.

Para dar a sensação de que o texto pertence a todos, os atores interpretam no mesmo nível da plateia em um palco com formato de instalação. A cenografia é composta por um espaço todo branco com uma grande instalação, composta por 90 cubos de fiberglass, com iluminação própria em cada um deles.


Espaço I do Museu do Universo – Planetário da Gávea
Rua Vice Governador Rubens Berardo, 100 – Gávea

Preço: R$80,00 * Inteira.

A Lua vem da Ásia - 05/01 até 27/02
Em adaptação do livro homônimo de Walter Campos de Carvalho, o monólogo conta, em forma de diário, a trajetória de um homem incomum em busca de um entendimento e justificativa perante a lógica do universo em que vive

Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)
Horário: Quarta a domingo, às 19h
Local: Teatro I | Rua Primeiro de Março, 66 - Centro
Preço: R$10,00 * Inteira


Espaço SESC
- Vou fazer um tópico somente para esse espaço já que há três peças que parecem ser boas e também se encontram em um preço acessível.

Espaço Sesc
Rua Domingos Ferreira, 160 – Copacabana
Preço: R$16,00 * Inteira

R & J de Shakespeare – Juventude Interrompida - Estreia 13/01 - 06/02

Uma das montagens mais ousadas da célebre historia de amor de William Shakespeare estreia no Rio de Janeiro. João Fonseca dirige quatro atores que reencenam o clássico em um cenário inusitado.

A peça acontece em uma escola católica extremamente conservadora, onde quatro estudantes exploram ‘Romeu e Julieta’. O livro é uma forma de fugir da repressão em que vivem, e através do texto eles descobrem suas próprias sexualidades. Ao lerem o livro começam a viver propriamente os diálogos e emoções do clássico.

Sem trocas de roupas ou de cenário, a tragédia se desenrola basicamente através das atuações e do jogo cênico proposto por Calarco, com a “peça dentro da peça”.


Admirável e Só para Selvagens - Dia 07/01 - 30/01

Com direção de Hugo Rodas e Miriam Virna, “Admirável e Só para Selvagens” inspira-se livremente no clássico “Admirável Mundo Novo”, de Aldous Huxley. O espetáculo se passa no século 27, quando Bernard Marx e Lenina são confinados em um universo similar ao de um reality show. Eles fazem parte de uma experiência para mostrar como a vida funciona sem o Soma, a substância legalizada pelo Estado e que subtrai qualquer sensação de desconforto e angústia. Desta forma, pela primeira vez lidam com as emoções.

Bernard e Lenina são vigiados 24 horas por Mustafá Mond, um dos poderosos administradores do Estado Mundial, que prega a abolição da arte, da religião e do amor em favor do bem-estar da comunidade.

A peça centrada em quatro personagens interpretados por dois atores. Miriam Virna interpreta Lenina e Mustafá Mond, enquanto Alessandro Brandão interpreta Bernard e John, o Selvagem

Besame Mucho 07/01 - 30/01

Uma história de amor e amizade entre quatro amigos, que durante duas décadas (de 1962 a 1982) tiveram suas vidas marcadas por todo contexto social, cultural e comportamental da época.


Exposições

Há várias exposições permanentes no Rio de Janeiro e também outras excelentes que ficam temporariamentes. Aqui vai algumas dicas.

Bem do Brasil - 10/12 até 20/02
Acontece no Paço Imperial. A exposição constitui uma justa homenagem e um reconhecimento à criatividade de brasileiros e brasileiras que legaram oa país e às gerações futuras, ao longo dos séculos, múltiplas expressões materias e simbólicas que atestam as bases da nossa identidade.
O acervo conta também a história do IPHAN e as disputas políticas que envolviam a entidade. Uma excelente exposição que mostra a força cultural brasileira.
Endereço: Praça 15 de Novembro, 48 - Centro


Museu Nacional de Belas Artes:
Av. Rio Branco, 199 - Centro
Rio de Janeiro - RJ


Contará com um especial de comemoração de 74 anos. Confira as atividades

13 de janeiro de 2011, às 15h - Solenidade de entrega da Medalha Quirino Campofiorito às pessoas que contribuiram para o desenvolvimento do MNBA no período de 2006 a 2010. Lançamento do Anuário do MNBA nova fase – volume I. Entrada franca.

19 de janeiro de 2011, às 15h - Tarde Cheirosa – Artista Josely Carvalho e a curadora da exposição, Laura Abreu, fazem uma visita guiada à mostra Nidus Vitreo, situada no 2º piso. Entrada franca.

25 de janeiro de 2011, às 15h - Mesa redonda com a critica de arte Maria Luiza Távora - homenagem a falecida artista plástica Fayga Ostrower. Entrada franca.

27 de janeiro de 2011, às 15h - Mesa redonda com o critico e artista Ferreira Gullar, o pesquisador Antônio Carlos Secchin, e os poetas Salgado Maranhão e Carlos Dimuro. Tema: Arte e literatura. Entrada Franca.

Além das exposições que estão em cartaz:
Mapa da Mina
Nidus Vítreo - Diário de Cheiros
Ferreira Gullar

E o seu acervo permanente que é muito rico.

Cinema

Na dica de cinema eu indico o cinemateca do Centro Cultural do Banco do Brasil. Comprando um "cine-passe" de um valor de R$10 (inteira) você tem direito a assistir todos os filmes que estão em cartaz no cinema além de poder usufruir a videoteca do CCBB, que é muito rica em filmes antigos e difícies de achar. Além disso, você ainda tem direito a um acompanhante. Ou seja, incrivelmente barato já que você pode assistir quantos filmes quiser e puder num prazo de um mês por apenas R$5,00 se você for estudante ou correntista do Banco do Brasil. Basta adquirir o ingresso na bilheteria no primeiro andar.


A Critica
.

Esta seção não parte de nenhuma dica cultural ao leitor. Esta seção pede para que o leitor reflita em todos os lugares no qual eu indiquei. Você pode reparar facilmente que, principalmente na área de teatro, as peças estão concentradas na Zona Sul e também com um preço não muito acessível. Eu e obvimante este blogue luta pela expansão do acesso cultural. A Zona Norte e principalmente a Baixada Fluminense carecem de atividades culturais. Existem as Lonas Culturais, porém elas são insuficientes. O que nós vemos é uma concentração cultural na Zona Sul e seus arredores ( onde misteriosamente tambémestá concentrada a população mais rica do Rio de Janeiro). Para a população mais carente: NADA

Os Centros Culturais, concentrados no Centro da Cidade, eles não estão lá para ficar mais próximo de todos, ingênuo leitor... É uma herança histórica da antiga capital do Brasil. O Centro Cultural Banco do Brasil, Museu Nacional de Belas Artes, Paço Imperial, Biblioteca Nacioanal, todos esses e muitos outros são resquícios culturais da antiga cultural que ainda estão vivos. Ainda bem.