você precisa ser feliz pra viver, eu não.

quinta-feira, 24 de abril de 2014



depois daquele beijo que nos separou

eu de um lado:
Consolação

você de outro:
Paulista

restabelecemos a forma
usual dos paulistanos:
a solidão

e com ela tentamos fazer um filme
com fragmentos de tantos outros,
mas faltam os vinte quatro quadros
no mesmo segundo
para nos por em movimento
e alguém lá no fundo gritar
"AÇÃO"

para podermos atuar
nas ruas dessa cidade
- que nos lembra tantas outras -
e fugir como clandestinos de um amor subversivo
encontrando nos prédios
do século passado
um refúgio num tempo
que não é nosso

(e nesse momento sua preguiça
nem se lembra
que eles não tem elevadores)

e seus olhos,
cúmplices maiores
desse crime,
me convencem a ficar
e como ressaca
me arrasta, me puxa, para perto de você. 

não resisto.

sei que de nada adianta saber nadar.

terça-feira, 22 de abril de 2014

sabe,
inevitavelmente,
um dia você me odiará

e eu só quero que você se lembre:
que eu confio
e acredito
em você.

mesmo que talvez, eu
desconfie
(como naquele dia que você me disse que seria possível, mas eu não confiei.)
ou então
desacredite
(como naquele momento em você me disse para acreditar, mas eu não acreditei)

sabe,
a culpa será minha,
mas
mesmo assim,
não ligaria do seu ódio por mim.

porque qualquer sentimento
é melhor que sua indiferença

e ser percebido por você
(seja bom ou ruim)
é importante pra mim

sabe,
dizem que dar presentes é uma forma de criar vínculos.

.
....................................................................................e esse é o meu presente
.
.
pra você.