você precisa ser feliz pra viver, eu não.

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Enquanto isso num bar...

Garçom, me vê uma vaga pra UFF por favor! O que? Só tem sem trote? Tudo bem, pode mandar mesmo assim...

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Tentativas frustradas

Me deu uma vontade súbita de escrever alguma coisa triste. Porém o Obliquo, o pronome, já vem me avisando que eu comecei errado. Ele me explica que não gosta de começar nada, prefere dar lugar ao verbo. É a regra, diz ele, primeiro as damas.
Que seja, não vou protestar!

Deu-me uma vontade súbita de escrever sobre os rios de lágrimas do mundo. Todavia a Hiberbole, irritadíssima, já vem me dizendo que eu minimizei os problemas! Ora, será que apenas alguns rios bastam para todas as lágrimas do mundo? Não me confunda com o Eufemismo, diz ela, são mares de lágrimas. O mundo chora mares de lágrimas. Contesta ela nervosa.
Caro leitor, eu não tive reação. Ela estava aos prantos. Tive que ceder.

Eu já estava quase desistindo de escrever sobre os mares de lágrimas, quando a Persistência, moça bonita, veio a mim e disse para eu continuar. Que desistir seria a pior coisa, e persistir seria a melhor opção. Mas as Ideias, meninas complicadas como elas são, já perderam a paciência e se foram! Corra atrás delas, diz a Persistência, não as deixe ir. É justamente nesse momento que a Preguiça intervém bocejando: Pra que correr atrás das Ideias? Meninas mimadas, vão ficar mal acostumadas. Replica a Preguiça quase dormindo... Argumento muito válido para mim, e que deixou a Persistência calada. Talvez ela tenha desistido, ou não. Só sei que a Preguiça saiu moribunda, sem o comum ar superior de quem sai vitorioso, e foi se deitar.

Eu ia até tentar continuar a escrever, mas o Cansaço, bom e fiel amigo, me convenceu que é melhor parar por aqui mesmo. Deixar para outro dia e ir descansar. Conselho justo e sincero. Bom e fiel amigo que é o Cansaço. Já até preparou a rede pra mim. Não, caro crítico a Preguiça não está lá. Ela tá no sofá, vendo tv. Enfim, vou descansar.

E lá vem a Dona Ortografia, menina boa e competente, para arrumar tudinho por aqui. Se você tá lendo tudo certinho, agradeça a ela e não a mim. Enquanto eu tava descansando, ela tava trabalhando. Obrigado, Ortografia. Volte sempre, aqui.