você precisa ser feliz pra viver, eu não.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

caminhada

Um, dois, três, quatro e para! Olha pra um lado, olha para o outro: Não vem carro. Ele continua a caminhada. Um, dois, três, quatro, cinco, olha para uma criança, vê sua mãe, mas não para de andar. Passos rigidos e frouxos. Desvia de um buraco, desvia de um cachorro. E para. Deixa os carros passarem, deixa o onibus passar, deixa as motos passarem. Sente o cheiro de comida, olha para o relógio, está quebrado, olha para o céu - São meio dia e trinta, pensa. Mas pode estar errado, ou não. Acorda estando acordado, atravessa a rua - o sinal está aberto- mas ignora.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

gota.

Caro leitor, não há como impedir, eu queria que não soprasse vento nenhum e que a gota continuasse ainda ali, na folha verde. Mas ela tinha que cair, a natureza é mais forte do que eu. Ou pelos ventos, ou pelo outono, ou por qualquer outro motivo maior, ela tinha que cair. Pois bem, numa manhã esse belo dia chegou, ventou tão forte, mas tão forte que ela foi arrastada e jogada até a terra fofa. Numa queda livre delirante.
Absorvida pela terra, entre raízes e areia, ela se sentiu espremida, sufocada, não conseguiu achar um ar fresco, não via mais o sol para, lentamente, ser evaporada. Ficava ali agora, esperando ser absorvida por uma raiz, apertada entre areia, pedras e raízes. Sem ar, sem sol, sem nada. Ficou triste novamente, teve apenas alguns segundos de felicidade e ainda achou que não os aproveitou bem... Devia ter gritado mais, devia ter aproveitado mais os seus segundos no ar... Em mais um suspiro ela grita: Prefiro lá em cima!

Agora é tarde.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Orvalho

Num imenso e lindo jardim, vivia uma gotinha. Que triste era a vida da gotinha. Ficava no meio de uma folha verde e enorme, ficava ali paradinha, suas irmãs e primas passavam e escorregavam e caiam na terra fofa. Ela ficava ali, parada. Outras iam lentamente subindo, iam em direção ao céu, vagorosamente, à pedido do sol. E ela continuava ali, parada. Não subia, nem descia. Ficava. Triste destino da gotinha. Às vezes, e isso era raro, batia um vento forte, os galhos se moviam, as folhas se mexiam e a gota continuava imovel, parada. Ela se questionava, se perguntava, ficava aflita! Deseja ser uma gota do oceano, ser uma gota de chuva, ser uma gota de lágrima, e não ser aquela gota inútil parada no meio de uma folha enorme e verde.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

quarta-feira, 22 de julho de 2009

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Dia do amigo

Hoje ficou determinado que é dia do amigo. Hoje é o dia para você dizer ao seu amigo o quanto você o ama, o quanto ele é querido por você. Talvez você dê algum presente, ou receba, talvez você saia para comemorar, para beber ou apenas para papear. Porém todas essas ações tem algo em comum: o consumo.
Não podemos nos deixar iludir com manobras do capitalismo para gastarmos, consumimos a toa. Não que você esteja desperdiçando dinheiro quando gasta com um amigo ou dê algum presente para ele, mas o fato é que você não precisa de um dia especialmente para isso. Eles tentam impor uma data, e nesse dia você deve comprar presentes, sair para comemorar. Mover a grande roda da economia. Se pararmos de consumir, a economia quebra, tudo para. Porém temos que consumir conscientizadamente, não podemos nos deixar enganar, não podemos deixar que nos manipulem facilmente. Não sei quando surgiu o ' dia das mães, pais, namorados, avós, crianças... Mas sei que eles foram surgindo aos poucos e aos poucos foram se sedimentado, se consolidando...até que chega no dia de hoje, no qual é praticamente uma obrigação você presentear sua mãe nesse dia. Repare que nem feriado esses dias festivos são. Os pais caem, não sei por quê, nos domingos. Os namorados não é feriado, mas você tem que sair como se fosse um. E assim vai... Com esses dias o comércio lucra mais, sem precisar parar, como no natal por exemplo. ( se bem que hoje em dia praticamente não para.)
Caro leitor, fique atento. A Televisão, o rádio, todos os meios se esforçam para que tudo lhe pareça natural. Parece que há anos o dia do amigo é uma data tão popular quanto dia dos namorados, no qual você tem que sair pra beber uma cerveja com os amigos.
Eu escrevo com uma certa tristeza, leitor, pois eu sei que daqui a dez anos, eu estarei comprando presentes para os meus amigos ou então comemorando com eles... Isso porque o costume já foi implantado. A tradição já foi estabelicida. E não haverá nada que eu poderei fazer, a não ser segui-la.

terça-feira, 7 de julho de 2009

CIA

Todo mundo precisa de companhia. Até os verbos que são tão arrogantes ( por serem inconstantes) precisam de companhia. Repare: Se o andar, quiser caminhar sozinho, ele pode ir livremente, sem constrangimento, sem dificuldades. Porém, se o rebelar, quiser fazer uma revolução, ele não pode. Somente com a ajuda de um pronome, ele consegue rebelar-se. O mesmo acontece com o 'desenvolver'. Ninguém se desenvolve sozinho, até o verbo precisa de uma companhia para desenvolver-se.
É triste, muito triste, eu sei. Porém é necessário.

outro mundo

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
AAAAAAAAAAAAAAAA~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~AAA
AAAAAAAAAA ~~ ~~~~~ ~~~~~ ~~ ~~~~~~~~ ~~~ ~~~~~~~~~ÃA
AEEEEEEAAAAAAAEEEEEEEEEE~~~~~~~ ~~~~~ ~~~~~~~~AAAAE
AAAAAAAAAAAEEEEEETTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTTAAAEE
AAEEEEEEEEEAAAAAAA~~~~~~~~ ~~~~~~~~~~~~~~~~~~ÃAEEE
~~~~~~~~~~~~AAAAAAAAAAAEESSSSSSSSSSSSSSSSSSSSAAAAAA
AAAAAAAAAAAASSSSSSSSS~~~~ ~~~~~~~~~~SASASASASAAAAA
YYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYAAAAAAAAAAAAAA
TTTTTTTTTTEEEEEEEEEAAAAAAAAASSSSSSSSSSSFFFFFFFFFFFFFA
ASSSSSSSSSSSSSFFFFFFFFFFFFFXXXXXXXXXXXXZASR
aASDFAHFSIFAIOJFASUUUUUUUUUUUUUUAAAAAAAAAAAÇÇÇÇÇAF
AAAAAAAAAAAAAAA TTTTTTTTTTTTTAEEEEEEEEEEEEEee
Tentei fazer alguma coisa diferente.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

sorte dos pobres

em relação a gripe suina, os pobres ( enfim! ) tiveram sortes sobre os ricos.

Depois da temporada no exterior, tá todo mundo com medo de visitar amigos, parentes, ambientes de trabalho e escolha...

Desse problema, os pobres não sofrem.